Evento com mais de cinco mil participantes pode ser vir como um chamariz para delegações estrangeiras que se preparam para as Olimpíadas .

A partir desta quinta (12), Londrina recebe o futuro do esporte brasileiro durante os Jogos Escolares da Juventude. Até o próximo dia 21, cerca de quatro mil atletas com idades entre 15 e 17 anos estarão na cidade para disputas em 13 modalidades. Essa será a terceira vez que Londrina recebe o evento, desta vez, também de olho nos Jogos Olímpicos do ano que vem, que acontecem no Rio de Janeiro.

O presidente da Fundação de Esportes de Londrina (FEL), Vilmar Caus, espera que as estruturas utilizadas na cidade para os Jogos Escolares possam atrair atletas olímpicos de diversos países em 2016. Ele cita como exemplo a pista de atletismo da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Embora esteja fechada para reformas no momento, ela será de nível internacional.
“É um palco que poderia muito bem receber qualquer equipe para as Olimpíadas. É uma reforma estrutural completa, que vai custar mais de R$ 5 milhões.”

Temporariamente sem a pista da UEL, as provas de atletismo foram transferidas para o Estádio Willie Davids, em Maringá.

As demais modalidades serão disputadas em espaços espalhados por Londrina e cidades da região metropolitana, como Cambé e Ibiporã. Entre as estruturas que serão utilizadas está o Autódromo Ayrton Senna ( ciclismo), Arel (vôlei e natação) e o Aterro do Lago Igapó (vôlei de praia), que a partir de janeiro receberá uma quadra para atender competições internacionais.

Já o Centro de Eventos de Londrina sediará as competições de handebol, judô e luta olímpica, além de contar com uma área de convivência para os jovens interagirem no intervalo das competições. Neste espaço, também foi instalado o refeitório, onde serão servidas quase 57 mil refeições até o fim do evento.

Nas contas da nutricionista Daniela Fiorin Lopes, responsável pela alimentação de todos – dirigentes, atletas, técnicos e voluntários –, almoços e jantares somarão impressionantes 5 mil toneladas. “O cardápio veio pronto do COB, e nós tivemos que fazer algumas adaptações para a nossa realidade local. São seis opções de pratos nas duas refeições do dia, e isso precisa ser bastante variado para agradar a todos”, disse.

Grande estrutura

Para a competição em Londrina serão utilizadas 90 toneladas de equipamentos. Entre os mais de 500 itens da lista, estão 9 mil camisetas, 225 lixeiras recicláveis, 115 celulares, 14 rádios comunicadores, além de todo material de competição: placares eletrônicos, traves, redes, pisos esportivos, tatames e bolas.

Apesar de todo o esforço londrinense, o diretor geral dos Jogos Escolares, Edgar Hubner, ressalta que é preciso mais para que Londrina alcance o status de ponto de apoio para delegações olímpicas. “Esse é um trabalho que a cidade que tem vocação, que entende que tem uma estrutura, precisa mostrar para os outros países. Londrina tem uma estrutura que atende as exigências dos jogos escolares. Mas pode ser que as exigências dos países que vão disputar as olimpíadas sejam um pouco maiores”, explicou.

Economia aquecida

A competição também é motivo de otimismo para a economia local. Ano passado, quando Londrina sediou a etapa 12 a 14 anos dos Jogos Escolares, pesquisa encomendada pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) ao Sebrae apontou que o evento foi responsável por movimentar R$ 9,5 milhões em menos de 10 dias. "Já vamos candidatar Londrina como palco dos Jogos Escolares de 2016”, diz Arnaldo Falanca, diretor-executivo da Abrasel em Londrina.

Este ano, os participantes ficarão hospedados em 21 hotéis de Londrina e quatro de Maringá, com 27 mil diárias, segundo estimativa do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Para o deslocamento de atletas e técnicos, cerca de 160 veículos serão utilizados, sendo 66 ônibus, 62 carros e 33 vans apenas em Londrina. Além disso, a competição deve movimentar shoppings, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.

“É um grande negócio. Os hotéis ficam lotados e Londrina tem o cenário perfeito. Com uma ou outra exceção, os locais de provas são perto de onde os atletas ficam acomodados. É fácil para eles circularem e consumirem serviços”, explica o diretor da Abrasel.

“Sem contar que viajar para jogar é sempre algo que fica na lembrança de quem participa. Londrina passa a fazer parte das memórias de quem passou pela cidade. Nosso município vira uma referência positiva quando os atletas voltam para suas casas."

Abertura

A Cerimônia de abertura dos Jogos Escolares da Juventude acontecem nesta quinta (12), às 18 horas, no Ginásio Moringão. O evento contará com a participação de “atletas-embaixadores”, que foram medalhistas em Jogos Olímpicos e Pan-americanos, como Shelda Bede (vôlei de praia),Fabíola Molina (natação), Charles Chibana (judô) e Angélica Kvieczynski (ginástica rítmica).

Fonte: Jornal de Londrina